Município de Maranguape recebe II Encontro Coletivo de Mulher com Deficiência

Cerca de 70 militantes participaram do II Encontro Coletivo de Mulheres com Deficiência do Município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza. O evento ocorreu dia 28 de fevereiro, no auditório da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. A iniciativa, que reuniu PcD e representantes de instituições que atuam na área, contou com apresentações dos trabalhos desenvolvidos pelas entidades, muitos esclarecimentos e palestra sobre saúde inclusiva (veja programação completa abaixo).

Segundo o presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Comdef) de Maranguape, Ramon Wênio, um dos objetivos foi dialogar com as mulheres com deficiência para que conheçam a existência do Conselho e somem forças com o Coletivo de Mulheres com Deficiência do Ceará, visando a discutir a garantia dos seus direitos. Ele afirmou ser “necessário que Maranguape avance urgentemente nas políticas de saúde para PcD”. No entanto, reconhece que o Município “desenvolveu muito nas políticas públicas educacionais na perspectiva inclusiva para o estudante com deficiência, mas precisa avançar ainda mais”.

Coletivo II fica dentro da matériaVirginia Queiroz, uma das organizadoras do evento, disse que o Coletivo cearense tem a finalidade de debater a participação de mulheres com deficiência em espaços de diálogos e decisão política. “O Comdef se propôs, então, a apoiar essa iniciativa com o desejo de conhecer políticas públicas de saúde para PcD e a rede de cuidados da saúde da pessoa com deficiência em nível municipal e estadual, assim como discutir essa questão, em especial, para mulheres com deficiência”, explicou.

Em convergência a essa perspectiva o Comdef se integrou ao Coletivo cearense, movimento livre da sociedade civil, constituído por mulheres com e sem deficiência, que tem atuado desde 2016 no debate das políticas públicas através do empoderamento delas. Após a Conferência Estadual da Saúde da Mulher, realizada em 2017, o Coletivo sistematizou sua atuação e Maranguape está nele representado pelas conselheiras Virginia Queiroz e Mayara Raylene.

“Uma das propostas do Coletivo para 2018 é interiorizar as ações que vinham ocorrendo em Fortaleza, por isso este Encontro em Maranguape”, lembrou Virginia.

A vice-presidente do Conselho, Ângela Abreu, destacou a importância do evento. “Muito bom. Foi esclarecedor. Fiquei feliz em ver a mobilização do Comdef numa ação dessa magnitude. Se a mulher precisa receber atenção, a mulher deficiente precisa muito mais. Precisa de atenção, cuidado e de profissionais sensíveis à causa da PcD”, elogiou a militante, que é mãe de autista. No entanto, fez uma observação: “Fiquei triste em ver que muitos dos serviços oferecidos pela saúde não são acessíveis. Devemos cobrar das autoridades mais projetos a fim de atender a todos igualmente.”

A integrante do Comdef, Sarana Braga, que tem deficiência física e intelectual, manifestou sua expectativa com a mobilização. “Espero que um encontro como este faça surgir situações que melhorem a acessibilidade. Sonho em ver Maranguape ainda melhor.”

PARTICIPANTES
O Encontro reuniu representantes dos Conselhos Municipal de: Saúde; da Assistência Social; dos Direitos da Mulher; do Idoso; dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica); Educação; Tutelar; Políticas Públicas para a Mulher; além do Centro de Referência da Mulher e Deusas da Mama.

A iniciativa foi realizada pelo Comdef de Maranguape, Coletivo cearense e a Coordenadoria de Políticas Públicas para a PcD do Estado. Teve como parceiros a Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS); Apae Maranguape; Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Idosos e Pessoas com Deficiência do Estado; e a Secretaria Estadual de Saúde.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

14h10 – Apresentação do Comdef Maranguape – Ramon Wênio de Abreu, presidente do Comdef – Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Maranguape.

14h20 – Apresentação do Coletivo de Mulheres com Deficiência do Ceará. – Gislana Maria do Socorro Monte do Vale – mestre do Programa de Avaliação em Políticas Públicas da UFC e, Secretaria Adjunta do Movimento Brasileiro de Mulheres Cega e de Baixa Visão e Membro do Coletivo de Mulheres com Deficiências do Ceará

14h40 – Política Pública de Saúde para Pessoa com Deficiência de Maranguape – Patrícia Silva – coordenadora da Saúde da Mulher e DST/Aids e da Atenção Básica da Secretaria de Saúde de Maranguape

15h15 – Palestra: Saúde Inclusiva – Valéria Mendonça – administradora hospitalar, Núcleo de Oncologia da Secretaria de Saúde do Estado, coordenadora do Movimento Outubro Rosa e do Março Lilás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *