Município de Maranguape recebe II Encontro Coletivo de Mulher com Deficiência

 545 total views,  1 views today

Cerca de 70 militantes participaram do II Encontro Coletivo de Mulheres com Deficiência do Município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza. O evento ocorreu dia 28 de fevereiro, no auditório da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. A iniciativa, que reuniu PcD e representantes de instituições que atuam na área, contou com apresentações dos trabalhos desenvolvidos pelas entidades, muitos esclarecimentos e palestra sobre saúde inclusiva (veja programação completa abaixo).

Segundo o presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Comdef) de Maranguape, Ramon Wênio, um dos objetivos foi dialogar com as mulheres com deficiência para que conheçam a existência do Conselho e somem forças com o Coletivo de Mulheres com Deficiência do Ceará, visando a discutir a garantia dos seus direitos. Ele afirmou ser “necessário que Maranguape avance urgentemente nas políticas de saúde para PcD”. No entanto, reconhece que o Município “desenvolveu muito nas políticas públicas educacionais na perspectiva inclusiva para o estudante com deficiência, mas precisa avançar ainda mais”.

Coletivo II fica dentro da matériaVirginia Queiroz, uma das organizadoras do evento, disse que o Coletivo cearense tem a finalidade de debater a participação de mulheres com deficiência em espaços de diálogos e decisão política. “O Comdef se propôs, então, a apoiar essa iniciativa com o desejo de conhecer políticas públicas de saúde para PcD e a rede de cuidados da saúde da pessoa com deficiência em nível municipal e estadual, assim como discutir essa questão, em especial, para mulheres com deficiência”, explicou.

Em convergência a essa perspectiva o Comdef se integrou ao Coletivo cearense, movimento livre da sociedade civil, constituído por mulheres com e sem deficiência, que tem atuado desde 2016 no debate das políticas públicas através do empoderamento delas. Após a Conferência Estadual da Saúde da Mulher, realizada em 2017, o Coletivo sistematizou sua atuação e Maranguape está nele representado pelas conselheiras Virginia Queiroz e Mayara Raylene.

“Uma das propostas do Coletivo para 2018 é interiorizar as ações que vinham ocorrendo em Fortaleza, por isso este Encontro em Maranguape”, lembrou Virginia.

A vice-presidente do Conselho, Ângela Abreu, destacou a importância do evento. “Muito bom. Foi esclarecedor. Fiquei feliz em ver a mobilização do Comdef numa ação dessa magnitude. Se a mulher precisa receber atenção, a mulher deficiente precisa muito mais. Precisa de atenção, cuidado e de profissionais sensíveis à causa da PcD”, elogiou a militante, que é mãe de autista. No entanto, fez uma observação: “Fiquei triste em ver que muitos dos serviços oferecidos pela saúde não são acessíveis. Devemos cobrar das autoridades mais projetos a fim de atender a todos igualmente.”

A integrante do Comdef, Sarana Braga, que tem deficiência física e intelectual, manifestou sua expectativa com a mobilização. “Espero que um encontro como este faça surgir situações que melhorem a acessibilidade. Sonho em ver Maranguape ainda melhor.”

PARTICIPANTES
O Encontro reuniu representantes dos Conselhos Municipal de: Saúde; da Assistência Social; dos Direitos da Mulher; do Idoso; dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica); Educação; Tutelar; Políticas Públicas para a Mulher; além do Centro de Referência da Mulher e Deusas da Mama.

A iniciativa foi realizada pelo Comdef de Maranguape, Coletivo cearense e a Coordenadoria de Políticas Públicas para a PcD do Estado. Teve como parceiros a Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS); Apae Maranguape; Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Idosos e Pessoas com Deficiência do Estado; e a Secretaria Estadual de Saúde.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

14h10 – Apresentação do Comdef Maranguape – Ramon Wênio de Abreu, presidente do Comdef – Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Maranguape.

14h20 – Apresentação do Coletivo de Mulheres com Deficiência do Ceará. – Gislana Maria do Socorro Monte do Vale – mestre do Programa de Avaliação em Políticas Públicas da UFC e, Secretaria Adjunta do Movimento Brasileiro de Mulheres Cega e de Baixa Visão e Membro do Coletivo de Mulheres com Deficiências do Ceará

14h40 – Política Pública de Saúde para Pessoa com Deficiência de Maranguape – Patrícia Silva – coordenadora da Saúde da Mulher e DST/Aids e da Atenção Básica da Secretaria de Saúde de Maranguape

15h15 – Palestra: Saúde Inclusiva – Valéria Mendonça – administradora hospitalar, Núcleo de Oncologia da Secretaria de Saúde do Estado, coordenadora do Movimento Outubro Rosa e do Março Lilás.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *